Lesão Osteocondral do Tálus

Para entender a doença em questão, é necessária uma breve explicação sobre a anatomia do tornozelo. A articulação do tornozelo é composta por 3 ossos: os dois ossos que compõem a perna (tíbia e fíbula) e um osso do pé, o tálus.




A superfície do tálus que faz contato com a tíbia é recoberta por um tecido chamado de cartilagem articular. Embora esta cartilagem seja composta de elementos que proporcionam grande resistência à carga e impacto, ela pode sofrer lesões, as lesões condrais ou osteocondrais.

As lesão osteocondral do tálus, também conhecida como fratura osteocondral do tálus, passou a ser mais facilmente diagnosticada após o surgimento da Ressonância Magnética. Assim, alguns quadros dor e inchaço no tornozelo que antes ficavam sem explicação, hoje acabam por ser diagnosticados como uma lesão osteocondral do tálus.

Deve-se suspeitar de uma possível lesão osteocondral do tálus quando, após o tratamento adequado de um entorse (torção) do tornozelo, o paciente persistir com dor e inchaço recorrente. Nesta situação, sugere-se que o Ortopedista solicite uma Ressonância Magnética para melhor avaliação diagnóstica.




O tratamento vai depender da extensão e estágio de evolução em que a lesão se encontra, podendo variar desde o uso de medicamentos, imobilização e fisioterapia, até o tratamento cirúrgico.

Muitas vezes, quando o tratamento cirúrgico se faz necessário, este pode ser feito por meio da artroscopia do tornozelo, uma cirurgia feita por meio de vídeo, que consiste em menor agressão, menor cicatriz e proporciona uma reabilitação mais rápida, com pouca ou nenhuma dor no pós-operatório.


Para maiores informações, consulte o Ortopedista de sua confiança.


R. Joaquim Floriano, 466 - Cj. 1014 - Itaim Bibi - São Paulo-SP (esquina com a R. Bandeira Paulista).

Tel/fax: 2165.2384 - 96307.5857 | e-mail: dr.andredonato@gmail.com