ENTORSE DO JOELHO

O joelho, devido a características peculiares de sua anatomia, é uma articulação bastante suscetível a lesões traumáticas durante a atividade esportiva, especialmente o futebol, esporte mais praticado em nosso meio. Abordaremos aqui as torções, ou entorses, do joelho.




Quais as consequências do Entorse do Joelho?


Os entorses podem ser classificados em leve, moderado e grave, conforme a intensidade do trauma e as estruturas lesionadas. Como consequência de uma torção no joelho, o paciente pode sofrer lesões ligamentares, periféricas (ligamentos colaterais) ou centrais (ligamentos cruzados), lesões de menisco e até mesmo fraturas.


Tratamento do Entorse do Joelho


Na fase inicial após o entorse, é comum o surgimento de edema (inchaço) que por vezes pode vir acompanhado de derrame articular (aumento de líquido dentro do joelho) e hematoma. Em algumas situações, o paciente não consegue movimentar o joelho machucado ou sequer apoiar o membro acometido, dificultando muito o caminhar, que só se faz possível com a ajuda de muletas.

No momento do trauma, o indicado é a aplicação imediata de uma bolsa de gelo por um período de 20 minutos e repetir a aplicação a cada 2 horas. Analgésicos e anti-inflamatórios podem ser usados para aliviar a dor. Na maior parte dos casos, não há necessidade de imobilização rígida (talas gessadas, por exemplo), bastando o repouso, a medicação e aplicação de gelo para melhorar os sintomas iniciais.

Recomenda-se então a avaliação de um Ortopedista e a realização de exames complementares se necessário.


Ruptura dos Ligamentos Colaterais


Os ligamentos colaterais do joelho, são estruturas externas à articulação, que funcionam como estabilizadores às cargas aplicadas lateralmente ao joelho. Em geral, a lesão isolada dos colaterais é de bom prognóstico, não necessitando de tratamento cirúrgico. Imobilizações parciais por meio de joelheiras articuladas, também chamadas de “braces”, associadas à fisioterapia bem conduzida, costumam ter sucesso e permitir o retorno às atividades físicas num prazo médio de 4 a 6 semanas após a lesão.


Ruptura dos Ligamentos Cruzados


Importantes estabilizadores internos do joelho, os ligamentos cruzados (anterior e posterior) impedem que o joelho “falhe” quando submetido a cargas torcionais. O lesão mais comum nos entorses graves é a ruptura do cruzado anterior. Diferentemente dos ligamentos colaterais, os cruzados não cicatrizam após a ruptura e o tratamento cirúrgico é o mais indicado para os indivíduos ativos fisicamente. A cirurgia mais comum consiste no enxerto de tendões, retirados do próprio joelho do paciente e fixados na posição ocupada pelo ligamento rompido. Este enxerto, após período médio de 4 a 6 meses, transforma-se num novo ligamento. A recuperação total para esportes de impacto, como o futebol, leva de 6 a 8 meses.




Lesão dos Meniscos


Os meniscos são cartilagens em forma de C, que ocupam os compartimentos lateral (externo) e medial (interno) do joelho. Funcionam como estabilizadores secundários do joelho e também podem ser lesados durante um entorse. Devido a peculiaridades na irrigação sanguínea dos meniscos, estes podem sofrer lesões com diferentes potenciais de cicatrização.


Dependendo de qual região do corpo do menisco elas ocorrem, as lesões podem ser tratadas conservadoramente (medicação, fisioterapia, PRP, etc...) ou cirurgicamente, por meio da artroscopia.


Consulte um ortopedista de sua confiança para maiores informações.

R. Joaquim Floriano, 466 - Cj. 1014 - Itaim Bibi - São Paulo-SP (esquina com a R. Bandeira Paulista).

Tel/fax: 2165.2384 - 96307.5857 | e-mail: dr.andredonato@gmail.com